2019

Cidade Aberta TEMPORADA 2018 / 2019 CENTRO CULTURAL DE BELÉM Para a Temporada de 2018/2019, o CCB oferece-lhe uma programação que se distingue pela ...
119 downloads 0 Views 1MB Size
Cidade Aberta

TEMPORADA 2018 / 2019 CENTRO CULTURAL DE BELÉM

Para a Temporada de 2018/2019, o CCB oferece-lhe uma programação que se distingue pela excelência artística e pela diversidade. Uma Cidade Aberta a todas as dimensões da criação artística, com propostas que abrangem as artes performativas, a arquitetura, o cinema e o domínio da literatura e pensamento, com conferências e ciclos que visam a reflexão sobre a nossa história e a do mundo.

percorrendo o teatro, a música, a dança e o pensamento, e que convocam uma reflexão sobre os mistérios do cérebro, com uma programação dirigida aos mais novos. —

A CABEÇA ENTRE AS MÃOS

CICLO SOBRE OS MISTÉRIOS DO CÉREBRO JANEIRO A MARÇO 2019



SETE ROSAS MAIS TARDE

CICLO SOBRE A SOLIDÃO

Nesta Temporada são também propostas três linhas de programação, através das quais vamos revisitar a obra de William Shakespeare, abordar a temática da solidão,

FEVEREIRO A MARÇO 2019



FOR GOODNESS SAKE

CICLO WILLIAM SHAKESPEARE MARÇO A JULHO 2019

CCB – CIDADE ABERTA É O LUGAR DE TODAS AS ARTES

Participe neste projeto cultural, junte-se ao universo de mais de 800 Amigos do CCB e consulte toda a programação que temos para si em www.ccb.pt

Cidade Aberta

CARTÃO AMIGO CCB

SER AMIGO DO CCB É

FAZER PARTE DO PROJETO CULTURAL DE UMA INSTITUIÇÃO COM 25 ANOS DE AFIRMAÇÃO NA VIDA CULTURAL E ARTÍSTICA DO PAÍS. O Cartão Amigo CCB confere descontos nos bilhetes para espetáculos de produção CCB, nos bilhetes de ciclo na área de Literatura e Pensamento, nos restaurantes e lojas do CCB, e também dá acesso gratuito a visitas guiadas às exposições de arquitetura e a outros pontos de interesse em Belém. E ainda, exclusivo para o Cartão Família: 30% de desconto na programação CCB/Fábrica das Artes; Inclui dois cartões com benefícios extensíveis até três filhos menores, desde que acompanhados por um dos titulares. DESCONTOS CARTÃO AMIGO CCB

29 maio a 19 junho 2018: desconto de 40% na compra de 5 ou mais espetáculos diferentes (válido para bilhetes de valor superior a 8€) / 20 junho a 4 julho 2018: desconto de 30% na compra de 5 ou mais espetáculos diferentes (válido para bilhetes de valor superior a 8€).

UMA BOA IDEIA ALGUMAS DAS MUITAS VANTAGENS CONVITES DESCONTOS RESERVAS VISITAS GUIADAS VENDA ANTECIPADA DE BILHETES ESTACIONAMENTO

PRÓXIMO CONCERTO CARTÃO AMIGO CCB: 150 ANOS DO NASCIMENTO DE VIANNA DA MOTTA

14 OUT 2018 GRANDE AUDITÓRIO

Artur Pizarro/Raúl da Costa pianos PROGRAMA

F. Liszt Eine Faust Symphonie (in drei Charakterbildern) S.647 / Weinen, Klagen, Sorgen, Zagen, S.179 / Fantasie und Fugue über den Choral Ad nos, ad salutarem undam, S.259 / L. V. Beethoven

Sinfonia n. º 9, op.125 (transcrição para 2 pianos por F. Liszt, S.657)

SE AINDA NÃO TEM, ESCOLHA O SEU CARTÃO AMIGO CCB COM 30% DESCONTO INDIVIDUAL JOVEM [-30] SÉNIOR [+65] FAMÍLIA

Vianna da Motta foi não só um dos maiores pianistas do seu tempo como um dos maiores artistas portugueses de que há memória, feitos que por si só lhe garantem um lugar cimeiro no Pártenon da Arte Ocidental. No entanto, se nos detivermos nos vários domínios de intervenção do grande músico, ficaremos surpreendidos pelo alcance do seu legado e de quanto o nosso país ainda lhe deve. Em 2018, celebra-se o 150.º aniversário do seu nascimento, ocasião única para recuperar e evocar o seu legado em Portugal, e daqui para o resto do mundo, em domínios em que se transcendeu, o de consumado virtuoso do piano, de músico cosmopolita e de grande envergadura intelectual, através da recriação do famoso recital de homenagem a Liszt, a dois pianos, realizado em Weimar, em 1900, com Ferruccio Busoni.

DIRIJA-SE À BILHETEIRA CCB / LINHA AMIGO CCB (+351) 213 612 700 E-MAIL [email protected] / CONSULTE WWW.CCB.PT ADIRA JÁ EM WWW.AMIGOCCB.PT / MORADA PRAÇA DO IMPÉRIO, 1449-003 LISBOA

HUGO CANOILAS (N.1977), VERS L´ART CONCRETE, 2005

CCB, INV. B006 — FOTOGRAFIA CCB/TIAGO PINTO, 2018

Cidade Aberta

TEMPORADA SINFÓNICA

ORQUESTRA SINFÓNICA GIUSEPPE VERDI (LA VERDI) TEMPORADA DARCOS

20 JAN 2019 GRANDE AUDITÓRIO

Nuno Côrte-Real direção musical

W.A. Mozart Árias de Concerto / Sinfonia n.º 41, Jupiter

30 SET 2018 GRANDE AUDITÓRIO

E. Grieg Suíte n.º 1, op. 46 de Peer Gynt / N. Côrte-Real Sinfonia Noa Noa / ESTREIA ABSOLUTA / A. Dvořák Sinfonia n.º 9 em Mi menor, Do Novo Mundo, op. 95

ORQUESTRA MELLEO HARMONIA

10 OUT 2018 GRANDE AUDITÓRIO

Joaquim Ribeiro direção musical / Irene Lima violoncelo / Luís Rodrigues narrador + INFORMAÇÃO NO POSTAL LITERATURA E PENSAMENTO

ORQUESTRA DE CÂMARA PORTUGUESA

ORQUESTRA SINFÓNICA PORTUGUESA

Elsa Dreisig soprano / Daniel Cohen direção musical

ORQUESTRA SINFÓNICA DO PORTO CASA DA MÚSICA

26 JAN 2019 GRANDE AUDITÓRIO

Rafael Kyrychenko piano / Michail Jurowski direção musical P. I. Tchaikovski Concerto para piano e orquestra n.º 1 / Sinfonia n.º 1, Sonhos de Inverno

HUBERMAN FILARMÓNICA (POLÓNIA) TEMPORADA DARCOS EUROPA SINFÓNICA

11 NOV 2018 GRANDE AUDITÓRIO

3 FEV 2019 GRANDE AUDITÓRIO

K. Rehnqvist Breaking the Ice (primeira audição em Portugal) / J. Haydn Sinfonia Concertante em Si bemol maior,  Hob. I/105 / L.V. Beethoven Sinfonia n.º 6 em Fá maior,  Pastoral, op. 68

M. Ravel Ma Mère L’Oye / N. Côrte-Real Rock / S. Rachmaninoff Concerto para piano n.º3

ORQUESTRA METROPOLITANA DE LISBOA POLÓNIA: O SÉCULO DA INDEPENDÊNCIA

10 FEV 2019 GRANDE AUDITÓRIO

Pedro Carneiro direção musical

18 NOV 2018 GRANDE AUDITÓRIO

Coro da Rádio Polaca / Krzysztof Książek piano / Katarzyna-Oleś Blacha soprano Wanda Franek meio-soprano / Andrzej Lampert tenor / Przemysław Firek baixo / Sebastian Perłowski direção musical F. Chopin Concerto para piano e orquestra n.º 1, op. 11 / J. M. Poniatowski Missa em Fá maior

ORQUESTRA SINFÓNICA PORTUGUESA OSP – 25 ANOS

25 NOV 2018 GRANDE AUDITÓRIO

Johannes Moser violoncelo / Joana Carneiro direção musical L. Tinoco Encomenda 25 anos OSP / W. Walton Concerto para violoncelo R. Strauss Assim Falou Zaratustra + INFORMAÇÃO NO POSTAL CCB 25 ANOS

ORQUESTRA SINFÓNICA METROPOLITANA FANTASIA E CAPRICHO

9 DEZ 2018 GRANDE AUDITÓRIO

António Rosado piano / Pedro Amaral direção musical N. Rimski-Korsakoff Capricho Espanhol, op. 34 M. de Falla Noches en los Jardines de España / I. Stravinski  Petrushka

ORQUESTRA METROPOLITANA DE LISBOA CONCERTOS DE ANO NOVO | DELÍRIOS, VALSAS, GALOPES E OUTROS SORTILÉGIOS MUSICAIS

1 JAN 2019 GRANDE AUDITÓRIO Evgeny Bushkov direção musical

António Rosado piano / Nuno Côrte-Real direção musical

ORQUESTRA SINFÓNICA PORTUGUESA

Geir Draugsvoll bayan (acordeão russo) / Joana Carneiro direção musical G. Gabrieli Canzon Septimi Toni a 8, Sonata pian’ e forte / S. Gubaidulina Fachwerk I. Stravinski A Sagração da Primavera

ORQUESTRA METROPOLITANA DE LISBOA QUATRO ÚLTIMAS CANÇÕES

24 FEV 2019 GRANDE AUDITÓRIO

Elisabete Matos soprano / Eivind Gullberg Jensen direção musical S. Rachmaninoff Sinfonia n.º 2, op.27 / R. Strauss Quatro Últimas Canções, op. posth + INFORMAÇÃO NO POSTAL SETE ROSAS MAIS TARDE – CICLO SOBRE A SOLIDÃO

ORQUESTRA METROPOLITANA DE LISBOA SIX PORTRAITS OF PAIN

24 MAR 2019 GRANDE AUDITÓRIO

Pavel Gomziakov violoncelo / Pedro Amaral direção musical A. P. Vargas Sinfonia (subjetiva) — ENCOMENDA CCB A. P. Vargas Six Portraits of Pain — COM ESTA PEÇA SERÁ EXIBIDO, EM ESTREIA, UM FILME DE TERESA VILLAVERDE – UMA ENCOMENDA CCB + INFORMAÇÃO NO POSTAL SETE ROSAS MAIS TARDE – CICLO SOBRE A SOLIDÃO

ORQUESTRA METROPOLITANA DE LISBOA TRAGÉDIA E PAIXÃO

12 MAI 2019 GRANDE AUDITÓRIO

António Rosado piano / Mykola Dyadyura direção musical S. Rachmaninoff Concerto para piano n.º 2 / P. I. Tchaikovski Sinfonia n.º 6, Patética, op. 74

ORQUESTRA SINFÓNICA PORTUGUESA

19 MAI 2019 GRANDE AUDITÓRIO

Esther Yoo violino / Emil Tabakov direção musical

ANTÓNIO SENA (N.1941), RHANK, 1988

CCB, INV. A005 / 1992 / FOTOGRAFIA CCB/TIAGO PINTO, 2018

P. I. Tchaikovski Concerto para violino / D. Shostakovich Sinfonia n.º10

Cidade Aberta

ÓPERA E ORATÓRIA

CONCERTO DE’ CAVALIERI

SETE ROSAS MAIS TARDE — CICLO SOBRE A SOLIDÃO

Vesselina Kasarova meio-soprano / Marcello Di Lisa direção musical

6/8/10 MAR 2019 GRANDE AUDITÓRIO

9 NOV 2018 GRANDE AUDITÓRIO

Dotada com um timbre fascinante, notável segurança técnica e grande instinto dramático, Vesselina Kasarova é um nome incontornável para os amantes do canto. A meio-soprano búlgara apresenta-nos nesta vinda ao CCB todo um programa consagrado aos heróis da ópera barroca – Vivaldi, Händel, Albinoni, Bononcini e Pergolesi – fazendo-se acompanhar pelo agrupamento Concerto de’Cavalieri dirigido por Marcello Di Lisa.

A INFÂNCIA DE CRISTO — CONCERTO DE NATAL

16 DEZ 2018 GRANDE AUDITÓRIO

Orquestra Sinfónica Portuguesa / Coro do Teatro Nacional de São Carlos Marco Alves dos Santos tenor / André Baleiro barítono Catia Moreso meio-soprano / Jean-Philippe Lafont baixo Frédéric Chaslin direção musical

A VOZ HUMANA / O CASTELO DO BARBA AZUL

Orquestra Sinfónica Portuguesa / Coro do Teatro Nacional de São Carlos Alexandra Deshorties soprano / Allison Cook meio-soprano Kostas Smoriginas baixo / Joana Carneiro direção musical Olga Roriz encenação / Nuno Carinhas cenografia e figurinos Cristina Piedade desenho de luz F. Poulenc A Voz Humana B. Bartók O Castelo do Barba Azul

Numa noite dupla de ópera, apresentam-se duas obras que nos fazem pensar sobre a condição humana e sobre a solidão. A ópera em um ato O Castelo do Barba Azul, com música de Béla Bartók e libreto de Béla Balázs, encerra uma reflexão profunda sobre a sociedade atual e a dificuldade de integração do indivíduo, tantas vezes condenado pelo seu próprio individualismo à solidão. A Voz Humana é uma tragédia lírica com música de Francis Poulenc, a partir do texto de Jean Cocteau, sobre o medo de romper, de ficar só, de perder quem se ama.

H. Berlioz A Infância de Cristo

O Concerto de Natal assinala-se com a oratória A Infância de Cristo, de H. Berlioz, composta entre 1853 e 1854 e estreada na Sala Herz, em Paris, no dia 10 de dezembro de 1854. Dividida em três partes, esta trilogia sagrada, como lhe chamava o autor, começa com o massacre dos recém-nascidos, ordenado por Herodes. A segunda e a terceira partes tratam da fuga para o Egito e do acolhimento da sagrada família por uma família de ismaelitas.

ARIADNE AUF NAXOS — ATELIÊ DE ÓPERA DA METROPOLITANA

25/27 JAN 2019 PEQUENO AUDITÓRIO

Orquestra Metropolitana de Lisboa / Coro de Câmara Lisboa Cantat Participantes no Ateliê de Ópera da Metropolitana Jorge Vaz de Carvalho direção cénica e vocal / Jorge Carvalho Alves maestro do coro Pedro Amaral direção musical R. Strauss Ariadne auf Naxos, op. 60

Na sua quinta edição, o Ateliê de Ópera da Metropolitana apresenta uma das óperas mais extraordinárias e populares do século XX: Ariadne auf Naxos, de R. Strauss, a partir de um libreto de Hugo von Hofmannsthal. Obra irreverente e paradoxal, Ariadne auf Naxos constitui não apenas um desafio à tradição operática, aos cânones líricos e teatrais românticos, mas também um desafio ao próprio público, confrontando-o com um género híbrido e desconcertante que, num mesmo palco, conjuga comédia e drama, mundanidade e transcendência.

MICHAEL BIBERSTEIN (1962 - 2013), S/ TÍTULO, 1994

A PAIXÃO

16/17 ABR 2019 GRANDE AUDITÓRIO

Romeo Castellucci / Coro e Orquestra Gulbenkian Romeo Castellucci conceção, cenografia, figurinos / Silvia Costa colaboração artística Piersandra di Matteo dramaturgia / Maroussia Vaes colaboração cenográfica Coro e Orquestra Gulbenkian Ana Quintans soprano / Marianne Beate Kielland meio-soprano Marco Alves dos Santos tenor / Benedikt Kristjánsson tenor André Baleiro baixo / Edwin Crossley-Mercer baixo barítono Marcelo Giannini órgão / Matthias Spaeter alaúde Michel Corboz direção musical J. S. Bach Paixão segundo São Mateus, BWV 240

Ao encenar A Paixão segundo São Mateus, de Bach, Romeu Castellucci recusa qualquer tentativa de ilustrar, procurando antes um novo sentido para a revelação. Um certo número de situações permite, em última instância, encontrar uma opção quando confrontado com as palavras da Bíblia e da essência profunda da composição de Bach. Uma série de elementos surgem, um após outro, como puros objetos de contemplação, sem qualquer expediente técnico. São-nos apresentados como «pedras», capazes de condensar uma atitude de escuta profunda. Cada um pode decidir entregar-se à escuta, não olhar diretamente, deixar-se perder ou, talvez ainda, predispor-se a sentir o sofrimento humano. COPRODUÇÃO CCB/FUNDAÇÃO CALOUSTE GULBENKIAN

CCB, INV. B012 — FOTOGRAFIA CCB/TIAGO PINTO, 2018

Cidade Aberta

MÚSICA DE CÂMARA

17 JAN 2019 PEQUENO AUDITÓRIO

Artur Pizarro piano Concerto comentado por Bruno Caseirão

Agostinho Sequeira é, sem dúvida, um dos músicos mais entusiasmantes da nova geração em Portugal. Este jovem percussionista, vencedor do Prémio Jovens Músicos, escolheu um programa temático para este concerto e que nos leva numa viagem pelo Oriente. O tema é a música para percussão, não apenas escrita por compositores asiáticos, mas também por compositores ocidentais com influências orientais.

13 OUT 2018 PEQUENO AUDITÓRIO Programa composto pelas quatro séries de Cenas Portuguesas de Vianna da Motta e pela coleção de Fados de Alexandre Rey Colaço.

14 OUT 2018 GRANDE AUDITÓRIO Artur Pizarro/Raúl da Costa pianos

F. Liszt Eine Faust Symphonie (in drei Charakterbildern) S.647 / Weinen, Klagen, Sorgen, Zagen, S.179 / Fantasie und Fugue über den Choral Ad nos, ad salutarem undam, S.259 L. V. Beethoven Sinfonia n. º 9, op.125 (transcrição para 2 pianos por F. Liszt, S.657)

Recriação do recital de comemoração do 14.° aniversário da morte de Liszt, promovido por Busoni e Vianna da Motta em Weimar, em 1900. + INFORMAÇÕES NO POSTAL CARTÃO AMIGO CCB

MOZARTFEST

28 OUT 2018 PEQUENO AUDITÓRIO

Prelúdio / P. Norgard I Ching Interlúdio / M. Miki Marimba Spiritual

STRADIVARIUS A SOLO

28 FEV 2019 PEQUENO AUDITÓRIO Linus Roth violino J. S. Bach Sonata n.º 1 para violino solo, BWV 1001 M. Weinberg Sonata n.º 2 para violino solo, op. 95 J. S. Bach Partita n.º 2 para violino solo, BWV 1004 E. Ysaÿe Sonata para violino solo n.º 3, Ballade + INFORMAÇÕES NO POSTAL SETE ROSAS MAIS TARDE – CICLO SOBRE A SOLIDÃO

ORQUESTRA DE CÂMARA PORTUGUESA

DSCH – Schostakovich Ensemble Filipe Pinto-Ribeiro piano e direção artística Jack Liebeck violino Cerys Jones viola Kyril Zlotnikov violoncelo Comentários ao concerto por Filipe Pinto-Ribeiro

31 MAR 2019 PEQUENO AUDITÓRIO

W. A. Mozart Trio para piano, violino e violoncelo em Dó maior, K 548 / Quarteto para piano, violino, viola e violoncelo em Sol menor, K 478 / Sonata para piano e violino em Mi menor K 304 / Quarteto para piano, violino, viola e violoncelo em Mi bemol maior, K 493

Neste concerto, a OCP faz a ponte entre a música do séc. XX e a música de W.A. Mozart. Uma ponte entre séculos que começa com a obra escrita em 1989 por G. Kurtág, Ligatura - Message to Frances-Marie, ou a «resposta a uma interrogação não respondida».

+ INFORMAÇÕES NO POSTAL CCB 25 ANOS

CHRISTOPH BERNER E BRUNO BORRALHINHO

13 DEZ 2018 PEQUENO AUDITÓRIO Christoph Berner piano Bruno Borralhinho violoncelo R. Strauss Sonata para violoncelo A. Zemlinsky Sonata para violoncelo G. Mahler Canções de um Viandante F. L. Graça Página Esquecida

Christoph Berner é, atualmente, um dos maiores pianistas de música de câmara da atualidade, já com alguns Diapason d’Or no seu currículo. Aproveitando a sua passagem por Lisboa, a convite de Bruno Borralhinho, temos o privilégio de apresentar um concerto com peças raramente interpretadas, de compositores como Mahler, Strauss, Zemlinsky e Lopes-Graça.

HUGO CANOILAS (N.1977), VERS L’ ART CONCRETE, 2005

AGOSTINHO SEQUEIRA

150 ANOS DO NASCIMENTO DE VIANNA DA MOTTA

CCB, INV. B007 — FOTOGRAFIA CCB/TIAGO PINTO, 2018

Pedro Carneiro direção musical Teresa Simas encenação G. Kurtág Ligatura - Message to Frances-Marie, op. 31b G. Ligeti Concerto para violoncelo W. A. Mozart Sinfonia n.º 36 em Dó maior, Linz, K. 425

FOR GOODNESS SAKE — CICLO WILLIAM SHAKESPEARE

«BE OR NOT BE»

23 MAI 2019 PEQUENO AUDITÓRIO Diemut Poppen viola Pavel Gomziakov violoncelo Pallavi Mahidara piano J. S. Bach Sonata n.º 3 BWV 1029 em Sol menor para viola, violoncelo e piano L. V. Beethoven Sonata n.º 3 em Lá maior, op. 69, para violoncelo e piano S. Prokofieff Seleção de peças do bailado Romeu e Julieta para viola e piano J. Brahms Trio em Lá menor, op. 114, para viola, violoncelo e piano

Nos anos 80 do século XIX, Hans von Bülow consagrava a ideia de uma trindade sagrada na história da música. Bülow dizia: «Eu acredito em Bach, o pai, Beethoven, o filho, e Brahms, o espírito santo da música». Neste concerto, três músicos de craveira internacional decidiram brincar com este conceito.

Cidade Aberta

JAZZ / CCBEAT / OUTRAS MÚSICAS

JAZZ

EUROPEAN JAZZ CONFERENCE

13 A 15 SET 2018 VÁRIOS ESPAÇOS

A Conferência Europeia de Jazz é a principal reunião anual da indústria ligada ao jazz e música criativa na Europa, dirigida aos líderes dos festivais de música, promotores, gestores culturais, agentes, jornalistas e agências de exportação ao nível regional e nacional. A conferência é coorganizada pelo CCB, pela Europe Jazz Network e pela Associação Sons da Lusofonia, com o apoio da Câmara Municipal de Lisboa, do Turismo de Lisboa e do Programa Europa Criativa da União Europeia.

MIGUEL ÂNGELO QUARTETO

22 NOV 2018 PEQUENO AUDITÓRIO

Quarteto do contrabaixista Miguel Ângelo composto por João Guimarães (saxofone alto), Joaquim Rodrigues (piano/rhodes) e Marcos Cavaleiro (bateria), interpreta a música original do contrabaixista que serve de ponto de partida para a união das diferentes sensibilidades dos músicos que compõem a formação.

JOÃO LENCASTRE’S COMMUNION 3

2 MAR 2019 PEQUENO AUDITÓRIO

Baterista e compositor natural de Lisboa. Já tocou com músicos como David Binney, Bill Carrothers, Thomas Morgan, Jacob Sacks, Phil Grenadier, Demian Cabaud, Leo Genovese, Peter Bernstein, Masa Kamaguchi ou Benny Lackner, e editou cinco discos com o seu grupo Communion.

BRANDFORD MARSALIS QUARTET

15 MAR 2019 GRANDE AUDITÓRIO

Saxofonista e compositor muito admirado, Brandford Marsalis começou por tocar com Art Blakey and the Jazz Messengers e com o quinteto do seu irmão Wynton. Já atuou ao lado de grandes nomes do jazz como Miles Davis, Dizzy Gillespie, Herbie Hancock e Sonny Rollins. No CCB irá apresentar-se com o seu quarteto.

PEDRO SEGUNDO & ROSS STANLEY HAMMOND ORGAN DUO 4 MAI 2019 PEQUENO AUDITÓRIO

O percussionista virtuoso e baterista Pedro Segundo junta-se ao aclamado Ross Stanley no órgão Hammond para um concerto do The Segundo Stanley Hammond Organ Duo, que nasceu em 2015 como resultado de uma noite imprevista num bar em Londres.

CCBEAT

BATIDA THE ALMOST PERFECT DJ

26 OUT 2018 PEQUENO AUDITÓRIO

Pedro Coquenão tem criado e desenvolvido trabalho com música, dança, artes visuais e plásticas sob o nome Batida. A sua nova performance chama-se The Almost Perfect DJ e nasceu do convite de Vhils para a primeira edição do Festival Iminente, em Oeiras.

DUQUESA

23 NOV 2018 PEQUENO AUDITÓRIO

Depois de numerosas aventuras em carrinhas e transportes públicos, Nuno Rodrigues (The Glockenwise) chegou a Duquesa, projeto da sua nova fase artística que se espelha em canções pop de tons mais negros, com arranjos cuidados, ora doces, ora amargos, a sublinhar um registo mais maduro. Duquesa entra, definitivamente, num capítulo novo da sua vida.

MAI KINO

18 JAN 2019 PEQUENO AUDITÓRIO

Mai Kino chamou a atenção de vários blogues internacionais depois de ter editado o EP The Waves, produzido com Luke Smith (Foals, Petite Noir, Depeche Mode). Entretanto já atuou em festivais como o Lisboa Dance Festival ou NOS Alive. A sua música caracteriza-se por uma estranha e hipnótica interpretação de pop eletrónica envolta numa voz única e enigmática.

SURMA

1 MAR 2019 PEQUENO AUDITÓRIO

Surma é o alter-ego musical de Débora Umbelino. A artista inspira-se no silêncio e rodeia-se de teclados, samplers, cordas, vozes e loop stations em sonoridades que fogem do jazz para o pós-rock, da eletrónica para o noise. Surma já trabalha em material novo para bandas sonoras e para um segundo disco e, neste concerto, vai começar a desvendar algumas dessas novidades.  

ANTHONY LEFT

29 MAR 2019 PEQUENO AUDITÓRIO

Antony Left é o nome de palco de António Graça. Parte de influências como Ben Howard, Bon Iver ou Lewis Watson para criar a sua própria identidade sonora. O músico regressa ao CCB, onde esteve, em 2015, na final do Concurso Nacional de Bandas da Antena 3, desta vez em nome próprio e para apresentar um novo disco.   

OUTRAS MÚSICAS

CONCERTO DE NATAL GISELA JOÃO SONG BOOK AMERICANO

20, 21 E 22 DEZ 2018 GRANDE AUDITÓRIO

JOSÉ LOUREIRO (N. 1961), S/ TÍTULO, 2007

CCB, INV. B008/2007 — FOTOGRAFIA CCB/TIAGO PINTO, 2018

Respondendo ao convite e desafio lançado pelo CCB, Gisela João sai da sua zona de conforto e sobe ao palco do Grande Auditório com um concerto de Natal inspirado no Songbook americano. Espera-nos, portanto, um espetáculo mágico, preparado propositadamente para esta ocasião, com um repertório surpreendente e uma envolvente cénica irresistível.

Cidade Aberta

HÁ FADO NO CAIS

PARCERIA ENTRE A EGEAC/MUSEU DO FADO E O CENTRO CULTURAL DE BELÉM

BERNARDO ESPINHO

CELESTE RODRIGUES

29 SET 2018 PEQUENO AUDITÓRIO

21 MAR 2019 GRANDE AUDITÓRIO

Jovem cantor alentejano, natural de Beja, desde cedo sentiu a vocação para a divulgação da música tradicional portuguesa. O seu percurso musical e artístico passa pela relação estreita com os dois patrimónios musicais portugueses reconhecidos pela UNESCO: o cante alentejano e o fado.

Artista consensual no universo musical português, Celeste Rodrigues é uma referência para as mais jovens gerações de intérpretes. Com 94 anos de vida e 73 de carreira, é a decano dos fadistas.

CAMANÉ

MARCO RODRIGUES E PAULO DE CARVALHO FADO É HUMOR

11 OUT 2018 GRANDE AUDITÓRIO

5 ABR 2019 PEQUENO AUDITÓRIO

Não há intérprete mais aclamado no fado atual do que Camané. O fadista respira autenticidade e facilmente se transcende: saem-lhe lágrimas da garganta quando fala de tristeza e desenha-se uma nuvem de rancor quando fala de ciúme. Traz ao CCB o seu mais recente álbum, Camané canta Marceneiro (2017).

Com humor e surpresa trazemos ao palco dois artistas conhecidos de todos. Paulo de Carvalho e Marco Rodrigues irão brindar-nos com um espetáculo inusitado, acompanhados por um trio de guitarras. 

GASPAR VARELA

31 MAI 2019 GRANDE AUDITÓRIO

24 NOV 2018 PEQUENO AUDITÓRIO Bisneto de Celeste Rodrigues, quis desde muito pequeno aprender a tocar guitarra portuguesa para poder acompanhar a sua bisavó. Tem como referências Artur Paredes, Carlos Paredes e Jaime Santos, e é o mais novo guitarrista a apresentar um concerto em nome próprio no ciclo Há Fado no Cais, onde apresentará um conjunto de guitarradas e alguns fados da sua preferência.

ANA SOFIA VARELA

19 JAN 2019 PEQUENO AUDITÓRIO Apesar de ter nascido na capital, é mais alentejana do que alfacinha. Aos três anos foi viver para Serpa, onde permaneceu até aos 20. Foi ali que descobriu a sua paixão pelo fado. Já trabalhou com João Monge e João Gil, participou no filme Fados, de Carlos Saura, e tem atuado em vários países.

PEDRO JÓIA

Pedro Jóia é compositor, diretor musical de vários projetos e é considerado um dos melhores guitarristas portugueses da atualidade. Começou a tocar aos sete anos e, desde então, já trabalhou com grandes nomes do fado como Mariza, Raquel Tavares ou Ricardo Ribeiro, e da música brasileira, entre eles Ney Matogrosso, Yamandú Costa e Gilberto Gil.

FRANCISCO SALVAÇÃO BARRETO

7 JUN 2019 PEQUENO AUDITÓRIO

Para o grande público, Francisco Salvação Barreto tem sido um dos segredos mais bem guardados do fado. É profundamente marcado pelo fado tradicional, a que junta as palavras de grandes nomes da literatura e do fado. Neste concerto apresentará o seu álbum de estreia.

ISABEL PIMENTEL

KATIA GUERREIRO

20 JUL 2019 PEQUENO AUDITÓRIO

Reconhecida como uma das mais importantes fadistas do novo milénio, Katia Guerreiro é, acima de tudo, uma das maiores embaixadoras do fado nos mais variados palcos internacionais.

Na infância de Isabel a música estava em toda a parte. Pelas vozes da mãe e da tia-avó teve o primeiro contacto com os mestres do fado. Há oito anos que canta no Clube de Fado e tem vindo a criar uma identidade musical própria. Neste concerto celebra o legado de um nome maior do património fadista: João Ferreira-Rosa.

15 FEV 2019 GRANDE AUDITÓRIO

CCB, INV. A022 / 1992 / FOTOGRAFIA CCB/TIAGO PINTO, 2018

MANUEL CARGALEIRO (N.1927), AZULEJOS DE LISBOA, 1991 / © MANUEL CARGALEIRO / ADAGP, PARIS, 2018

Cidade Aberta

DANÇA

HORS-CHAMP — FESTIVAL DE ALMADA

15 A 17 NOV 2018 PEQUENO AUDITÓRIO

Um casal é convidado para jantar em casa de Lise, num bairro rico dos arredores. Mal se instalam no salão, o mordomo e o convidado reconhecem-se. O jantar não será servido. Instala-se um ar de mistério, de angústia, de violência. Imagens brutais lançam-nos no coração de um drama que não saberemos nunca se nasce de uma realidade vivida, da rodagem de um filme ou de um pesadelo. Hors-champ é um espetáculo dançado, teatral e cinematográfico. A coreografia funde-se com o drama e as personagens passam ininterruptamente do ecrã para o palco. Entre vítima e carrasco, no meio de uma atmosfera destruidora que remete para um qualquer regime totalitário, Hors-champ vai desenrolando os seus meandros.

Lil Buck nasceu em Chicago mas cedo se mudou para Memphis, onde passou grande parte da sua infância e adolescência e onde se iniciou no estilo «Memphis Jookin», uma variante de street dance. Em What Moves You, Lil Buck e o violoncelista Mihai Marica desafiam os limites do processo criativo entre dança e música, explorando os movimentos livres da street dance com o rigor da música de Bach e de compositores contemporâneos.

guião, encenação e coreografia Michèle Noiret

VENEZUELA

31 OUT E 1 NOV 2018 GRANDE AUDITÓRIO Batsheva Dance Company coreografia Ohad Naharin

Em Venezuela, Ohad Naharin põe uma vez mais em evidência a qualidade técnica dos seus bailarinos com uma coreografia cujo sentido de composição radica numa fisicalidade extenuante, em que o ritmo e a complexidade dos movimentos criam momentos inesquecíveis. Venezuela encena a conflitualidade e o diálogo entre corpos, mas também entre culturas, como muito simbolicamente os lenços brancos que surgem no início da peça se transformam, com o uso das cores, em variantes da bandeira da Palestina. Ao utilizar como banda sonora cantos eclesiásticos na primeira parte, com a luz a iluminar o palco e, no segundo segmento da coreografia, o rap de The Notorious B.I.G. e música árabe, Ohad remete-nos para um contexto sociocultural (e político) específico que aos olhos do coreógrafo ainda encerra sinais de esperança. APOIO À APRESENTAÇÃO EMBAIXADA DE ISRAEL EM PORTUGAL

JULIÃO SARMENTO (N.1948), AMAZONAS, 1992

WHAT MOVES YOU

13 JUL 2018 GRANDE AUDITÓRIO

CCB, INV. A006 / 1992 — FOTOGRAFIA CCB/TIAGO PINTO, 2018

Lil Buck

LA DANSE DU SOLEIL

22 E 23 FEV 2019 GRANDE AUDITÓRIO coreografia e interpretação Juan Kruz Díaz de Garaio Esnaola direção musical David Greilsammer Geneva Camerata

Hipnótica, audaciosa e fascinante coreografia em que os 30 membros da orquestra Geneva Camerata dançam ao mesmo tempo que executam de memória duas grandes obras musicais, com a participação do coreógrafo e bailarino Juan Kruz Díaz de Garaio Esnaola. Uma cativante viagem que se inicia com o esplendor e elegância da música de Lully que depois nos conduz à beleza e espiritualidade da música de Mozart.

IMPRO SHARANA

12 E 13 ABR 2019 PEQUENO AUDITÓRIO

Companhia Shantala Shivalingappa & Ferran Savall Nascida em Madras, na Índia, e criada em Paris, Shantala Shivalingappa começou a dançar muito cedo por influência da mãe, especializando-se na dança clássica kuchipudi, estilo nascido em Angra Pradesh, no sul da Índia. A grande experiência com a dança contemporânea tem-na quando Pina Bausch a convida para dançar e é através dela que conhece Sidi Larbi Cherkaoui, com quem trabalhou. Em Impro Sharana, Shantala partilha o palco com Ferran Savall, filho de Monserrat Figueras e Jordi Savall, e mais quatro músicos, onde a improvisação musical e a dança se cruzam num diálogo expressivo de espiritualidade entre ocidente e oriente, tradição e contemporaneidade, onde harmonia e liberdade se conjugam para nos deixarem rendidos.

Cidade Aberta

TEATRO

4, 5 E 6 OUT 2018 A FERA NA SELVA encenação Miguel Loureiro

Com texto de Marguerite Duras, a partir do conto de Henry James, A Fera na Selva aborda temas centrais da vida como a morte, a solidão e o amor. Henry James lido por Duras num texto dramático de referência. Com interpretação de Margarida Marinho.

9 A 12 NOV 2018 MAPA MUNDI

Companhia Maior direção, texto e espaço cénico Joana Craveiro Um texto original de Joana Craveiro, escrito para a Companhia Maior, a partir de memórias, impressões da realidade, e geografias físicas várias e emocionais dos seus integrantes. Constituindo-se como um mapa interior, este espetáculo pretende celebrar as vidas ricas e profundas dos artistas da companhia.

5 A 8 DEZ 2018 FAUSTO

Mala Voadora texto e encenação Jorge Andrade Fausto é um espetáculo que trata da relação entre a ambição artística e a sustentação material dessa ambição, e que se referencia na alegoria da «venda da alma ao diabo» como recurso para a concretização de grandes ambições. Será realizado como site-specific por ocasião do 25.º aniversário do CCB. + INFORMAÇÃO NO POSTAL CCB 25 ANOS SETE ROSAS MAIS TARDE — CICLO SOBRE A SOLIDÃO

14 A 17 FEV 2019

CONFISSÕES DE UM CORAÇÃO ARDENTE

encenação Carla Maciel

Inspirado na complexidade caótica do universo literário marcadamente masculino de Fiódor Dostoiévski, Confissões de um coração ardente mergulha a fundo nos seus romances, invocando o romantismo patente na sua obra. Para isso, e recorrendo a ambientes de grande subtileza, o espetáculo explora, a partir de algumas das suas obras, a irracionalidade nos comportamentos dos heróis, as suas obsessões e os seus conflitos, traços indeléveis do realismo que caracteriza toda a obra de Dostoiévski. Com Albano Jerónimo, Gonçalo Waddington, Marco Paiva, Miguel Loureiro, Miguel Moreira, Teresa Coutinho e Tónan Quito. SETE ROSAS MAIS TARDE — CICLO SOBRE A SOLIDÃO

16 E 17 MAR 2019 ALTAS CIDADES DE OSSADAS

BoCA – BIENNIAL OF CONTEMPORARY ARTS conceção e encenação João Salaviza

O espetáculo transporta para o palco o universo do filme de João Salaviza, protagonizado pelo rapper Karlon. O espetáculo percorre as memórias de um músico marcado por um brutal movimento de desterritorialização, convocando a presença de outras vozes e outros corpos que em cena revolvem as ruínas de um bairro demolido: a Pedreira dos Húngaros. SETE ROSAS MAIS TARDE — CICLO SOBRE A SOLIDÃO

23, 24, 25, 27 E 28 MAR 2019 A BODA encenação Ricardo Aibéo

A Boda é uma das primeiras peças de Brecht. Não nos conta uma história, apenas espreita para dentro de uma situação que todos consideraríamos normal. Nesse olhar quase indiscreto temos espaço para perceber que o habitual é uma ilusão na qual queremos pensar que tudo se passa «como deve ser» mas que, quando nos distanciamos, não passa de uma manta de retalhos complicados e cheios de buracos. Este é um espetáculo levado a cabo por um grupo de atores do desaparecido Teatro da Cornucópia. Com Márcia Breia, Luís Lima Barreto, Rita Loureiro, António Fonseca, Rita Durão, Duarte Guimarães, Sofia Marques, Dinis Gomes, entre outros. FOR GOODNESS SAKE — CICLO WILLIAM SHAKESPEARE

5 A 8 ABR 2019 TIMÃO DE ATENAS Teatro Praga

Seis anos depois de A Tempestade e nove anos depois de Sonho de uma noite de verão, o Teatro Praga completa o que sempre foi pensado como uma trilogia, com mais uma parceria Shakespeare & Purcell. Timão de Atenas é uma composição musical de Henry Purcell, datada de 1694, escrita a convite de Thomas Shadwell, que adaptou o texto de Shakespeare e encomendou ao jovem Purcell uma «mascarada» (mask). A «mascarada» envolvia música, dança, canção e representação, com cenografias elaboradas e figurinos sumptuosos. Os mascarados eram habitualmente membros da corte e por vezes o próprio rei, acompanhados por atores e cantores profissionais. Com a música barroca aliada à eletrónica, o Timão de Atenas do Teatro Praga não fugirá às relações entre o capital e o amor, ao modo como ouro e sentimento dão as mãos e se alimentam, e como dinheiro e arte se confundem.

21 A 26 FEV E 3 A 6 MAR 2019 A CRIADA ZERLINA encenação João Botelho / interpretação Luísa Cruz

Adaptação da obra de Hermann Broch, a partir da versão de António S. Ribeiro com a colaboração de José Ribeiro da Fonte e da tradução de Suzana Muñoz. Um texto sublime sobre a mais bela e terrível história de amor, onde uma bela e prodigiosa atriz transformará em verdade o intenso monólogo da velha criada Zerlina. O espetáculo conta com cenografia de Pedro Cabrita Reis.

MENEZ (MARIA INÊS RIBEIRO DE FONSECA, 1926 - 1995), AS TRÊS IDADES, 1990

CCB, INV. A013 /1992 — FOTOGRAFIA CCB/TIAGO PINTO, 2018

Cidade Aberta

CINEMA E TRANSMISSÕES DA ROYAL OPERA HOUSE

BELÉM CINEMA OS CLÁSSICOS EM GRANDE FORMATO

19 MAR 2019 LA TRAVIATA

Uma parceria CCB/Midas Filmes Legendado em Português

G. Verdi música Richard Eyre direção

GRANDE AUDITÓRIO

16 SET 2018 EASY RIDER

Orquestra e Coro da Royal Opera House

DURAÇÃO: 3H30 C/ DOIS INTERVALOS LEGENDAGEM EM PORTUGUÊS DO BRASIL

4 NOV 2018 2001: ODISSEIA NO ESPAÇO (1968 / 2h30), de Stanley Kubrick

La Traviata, a ópera de Verdi mais amada, regressa aqui na espantosa versão de Richard Eyre, com grandes estrelas como Ermonela Jaho como Violetta, Plácido Domingo como Germont e Charles Castronovo no papel de Alfredo.

28 DEZ 2018 FANTASIA

4 JUN 2019 FAUSTO

13 JAN 2019 OS HOMENS PREFEREM AS LOIRAS

DURAÇÃO: 3H45 C/ UM INTERVALO LEGENDAGEM EM PORTUGUÊS DO BRASIL

(1969 / 1H35), de Dennis Hopper

(1940 / 2H), de Walt Disney

(1953 / 1H30), de Howard Hawks

17 FEV 2019 PAT GARRETT & BILLY THE KID (1973 / 2H), de Sam Peckinpah

17 MAR 2019 O PADRINHO I / II / III (1972, 1974, 1990 / 3H, 3H20, 2H40), de Francis Ford Coppola

2 JUN 2019 WOODSTOCK

(1970 / 3H), de Michael Wadleigh

Orquestra e Coro da Royal Opera House Charles Gounod música David McVicar direção A mais popular ópera de Gounod numa versão de David McVicar com cantores como Michael Fabiano, Diana Damrau e Erwin Schrott.

30 JUN 2019 WITHIN THE GOLDEN HOUR

NOVO TRABALHO DE SIDI LARBI CHERKAOUI/ FLIGHT PATTERN Orquestra e Ballet da Royal Opera House

DURAÇÃO: 3H15 C/ DOIS INTERVALOS

ROYAL OPERA HOUSE

GRANDE AUDITÓRIO

Transmissões em diferido

21 NOV 2018 MAYERLING Orquestra e Ballet da Royal Opera House DURAÇÃO: 3H15 C/ DOIS INTERVALOS

Kenneth MacMillan coreografia F. Liszt música

A Companhia do Royal Ballet num programa com três obras contemporâneas dos coreógrafos Christopher Wheeldon (Within the Holden Hour), Crystal Pite (Flight Pattern) e Sidi Larbi Cherkaoui.

14 JUL 2019 ROMEU E JULIETA

Orquestra e Ballet da Royal Opera House DURAÇÃO: 3H15 C/ DOIS INTERVALOS

Kenneth MacMillan coreografia / S. Prokofieff música

Desejos perigosos, segredos de família e intrigas políticas dão o mote à ousada coreografia de Kenneth MacMillan, inspirada em histórias verdadeiras da corte austro-húngara e do príncipe Rudolf e da sua amante Mary Vetsera.

A apaixonante coreografia de Kenneth MacMillan para Romeu e Julieta mostra esta companhia do Royal Ballet na sua faceta dramática mais depurada.

29 DEZ 2018 LA BAYADÈRE

WILLIAM SHAKESPEARE

Orquestra e Ballet da Royal Opera House

DURAÇÃO: 3H C/ DOIS INTERVALOS

Natalia Makarova coreografia segundo Marius Petipa L. Minkus música Este icónico ballet russo de 1877 foi apresentado regularmente durante o período da União Soviética, mas manteve-se desconhecido na Europa e EUA. Natalia Makarova produziu-o pela primeira vez em 1980. A história desenrola-se num ambiente de grande exotismo e fala-nos dos amores entre Nikiya, uma bailarina do templo, e o guerreiro Solor.

12 MAR 2019 A RAINHA DE ESPADAS Orquestra e Coro da Royal Opera House DURAÇÃO: 3H30 C/ DOIS INTERVALOS LEGENDAGEM EM PORTUGUÊS DO BRASIL

CICLO DE CINEMA

FILMES NO PEQUENO AUDITÓRIO COM PROJEÇÃO DE VÍDEO EM FORMATO BLU-RAY

13 MAI 2019 GRANDE AUDITÓRIO RAN – OS SENHORES DA GUERRA (1985 / 2H40), de Akira Kurosawa

14 MAI 2019 PEQUENO AUDITÓRIO MACBETH (1971 / 2H20), de Roman Polanski

15 MAI 2019 PEQUENO AUDITÓRIO HAMLET (1948 / 2H35), de Laurence Olivier

17 MAI 2019 PEQUENO AUDITÓRIO SORRISOS DE UMA NOITE DE VERÃO (1955 / 1H50), de Ingmar Bergman

P. I. Tchaikovski música Stefan Herheim direção

18 MAI 2019 PEQUENO AUDITÓRIO

A ópera mais ambiciosa de Tchaikovski, baseada num conto de Alexander Pushkin, numa produção extraordinária de Stefan Herheim e um elenco de grandes cantores como Eva-Maria Westbroek, Felicity Palmer e Aleksandrs Antonenko.

20 MAI 2019 GRANDE AUDITÓRIO

A FERA AMANSADA (1967 / 2H), de Franco Zeffirelli ROMEU E JULIETA (1996 / 2H), de Baz Luhrmann

+ INFORMAÇÃO NO POSTAL FOR GOODNESS SAKE – CICLO WILLIAM SHAKESPEARE

FERNANDO CALHAU (1948-2002), S/ TÍTULO, 1991

CCB, INV. B009 — FOTOGRAFIA CCB/TIAGO PINTO, 2018

Cidade Aberta

LITERATURA E PENSAMENTO

MOMENTO 1910

Projeto Evocativo do Centenário do fim da I Grande Guerra e da 1.ª República nasceu da convicção de que as efemérides que marcam momentos determinantes da nossa História merecem uma nova aposta na abordagem das suas comemorações. A originalidade assenta na utilização conjugada de parte de dois acervos riquíssimos da nossa herança histórica comum: imagens do monumental espólio fotográfico de Joshua Benoliel e obras do incontornável compositor Luís de Freitas Branco.

9 OUT 2018 CONFERÊNCIA

Moderador Elísio Summavielle / com Fernando Catroga, António Ventura, Fernando Rosas e Maria Fernanda Rollo

10 OUT 2018 FILME / CONCERTO

Orquestra Melleo Harmonia Joaquim Ribeiro maestro Luís Rodrigues narrador / Irene Lima violoncelo

OUT 2018 A FEV 2019 CICLO MARTE 2030 Ciclo de 5 conversas pelo Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço. Tendo como referência a missão da NASA a Marte em 2030, vamos explorar algumas partes dessa viagem do ponto de vista das ciências do espaço e das ciências químicas e biológicas, em diálogo com vários investigadores. Observação de Marte através de telescópio no final de cada conversa.

14 OUT 2018 COLÓQUIO RABINO ABRAHAM ASSOR (1920-1993) Este colóquio visa assinalar o 25.º aniversário da morte do antigo e ilustre Rabino da Comunidade Israelita de Lisboa.

OUT E NOV 2018 CICLO HISTÓRIA DO JAZZ

José Duarte Venha conhecer com José Duarte a História do Jazz, os estilos deste género, os seus instrumentistas e os seus cantores.

NOV E DEZ 2018 CICLO OS PORTUGUESES NA CHINA

Coordenação João Paulo Oliveira e Costa

Território desconhecido dos portugueses, a China começou por ser uma referência nebulosa, aquando da chegada à Índia, até que se deu o primeiro encontro com chineses em Malaca, em 1509. Grandes negócios acompanhados de incompreensões culturais fizeram tardar o entendimento, que depois seria duradouro e se prolongaria até ao final do séc. XX. 

15 NOV 2018 CONFERÊNCIA A COR DO PODER E A COR DO DINHEIRO Maria de Fátima Bonifácio

28 NOV 2018 A ESCOLA DE FRANKFURT, ADORNO, MARCUSE E O MAIO DE 68

Coordenação Ana Rocha Conferência sobre a Escola de Frankfurt e alguns dos seus representantes.

JÚLIO POMAR (N.1926), CAMÕES, 1990

1 DEZ 2018 HOMENAGEM A VITORINO MAGALHÃES GODINHO (1918-2011) Coordenação David Justino Homenagem ao professor, historiador e cientista. Uma parceria com a FCSH da UNL.

JAN E FEV 2019 CICLO A GUERRA FRIA – A NATO E O PACTO DE VARSÓVIA

Coordenação Nuno Severiano Teixeira Depois da temática da Revolução Russa e Europa entre Guerras, um outro período, o da Guerra Fria.

JAN, FEV E MAR 2019 CICLO GRANDES CONFLITOS DA HISTÓRIA — DA IDADE MÉDIA AO SÉC. XX

Coordenação Bernardo Vasconcelos e Sousa, Nuno Gonçalo Monteiro e Rui Ramos

Face ao enorme sucesso dos ciclos anteriores, desafiámos os nossos oradores para uma nova iniciativa.

23 MAR 2019 DIA MUNDIAL DA POESIA Em 2019 a poeta homenageada no Dia Mundial da Poesia será Sophia de Mello Breyner Andresen, no ano em que se assinalam 100 anos do seu nascimento.

MAR 2019 CICLO MODERNA ARQUITETURA PORTUGUESA: A DIÁSPORA E A ARTE DE SER PORTUGUÊS

Ana Tostões A afirmação da arquitetura moderna portuguesa tem sido acompanhada por uma crescente internacionalização que conduziu hoje ao reconhecimento pleno e unânime de uma produção arquitetónica de referência mundial. Este ciclo será dedicado à arquitetura moderna portuguesa.

MAI E JUN 2019 CICLO 50 ANOS DO 1.º HOMEM NA LUA 1969-2019 A Polémica / A Herança. Um pequeno passo para o Homem, um gigantesco passo para a humanidade.

DIAS LITERÁRIOS

Em parceria com o Centro Nacional de Cultura Homenagem a: Jorge de Sena (1919-1978) Joel Serrão (1919-2008) Ferreira de Castro (1898-1974)

OBRA ABERTA 2018/2019

Parceria CCB/Renascença Quinzenalmente, o CCB acolhe um escritor e um leitor para conversar com Maria João Costa, sobre os livros que leem e as obras que recomendam a futuros leitores, num programa da Rádio Renascença com edição e organização de João Paulo Cotrim. 

(QUASE) TODA UMA VIDA

Anabela Mota Ribeiro Seis grandes entrevistas de vida a personalidades diversas, conhecidas e marcantes da vida portuguesa no último século.

CCB, INV. B005 / 1992 — FOTOGRAFIA CCB/TIAGO PINTO, 2018

Cidade Aberta

FÁBRICA DAS ARTES

19 E 20 OUT 2018

BIG BANG — FESTIVAL DE MÚSICA E AVENTURA

O Festival Big Bang regressa na sua nona edição portuguesa. Esta será uma viagem aliciante, de descoberta partilhada, para crianças entre os 4 e os 12 anos e para os adultos que as acompanham. + INFORMAÇÕES EM WWW.CCB.PT

MÚSICA PRA TI – MÚSICA NO TEATRO +6 MINICONCERTOS — Convidamos músicos a tocar durante 30 minutos e, no final,

a responder às curiosidades do público. 10 NOV 2018 Sérgio Delgado 26 JAN 2019 Rui Rebelo 23 MAR 2019 António-Pedro 1 JUN 2019 Fernando Mota

16 NOV 2018 LIL BUCK 11>12 ANOS

OFICINA DE DANÇA (HIP HOP) — Em paralelo com o espetáculo nos dias 15 a 17 de

novembro no Pequeno Auditório, o bailarino norte-americano Lil Buck irá também orientar esta oficina de hip hop acompanhado pelo seu parceiro do coletivo Movement Art Is, Jon Boogz.

1, 2, 4 A 9 DEZ 2018 O MEU MUNDO CÁ DENTRO +6

Planeta Tangerina, Daniela Cruz e Nuno Preto ESPETÁCULO DE TEATRO — A viagem começa como todas as viagens, com a vontade ou necessidade de sair. Esta acontece um pouco por «culpa» da vontade e pela «inocência» da necessidade. O ponto de partida é o sítio dos barulhos fortes, a terra dos estrondos, onde tudo treme e escapa das mãos. O sítio de destino é um outro... com outros barulhos fortes, outros estrondos e onde nada pode escapar das mãos.

7 E 8 DEZ 2018 HAKANAÏ Adrien M. & Claire B.

+10

ESPETÁCULO DE DANÇA E ARTES VISUAIS E TECNOLOGIA INTERATIVA — Hakanaï é

22 A 24 FEV 2019 MARGEM +12

Victor Hugo Pontes TEATRO/DANÇA — Margem tem como inspiração o romance de 1937 de Jorge Amado, Capitães da Areia, que retrata um grupo de crianças e adolescentes abandonados que vivem nas ruas de São Salvador da Baía. Numa ideia de teatro documental, e em colaboração com Joana Craveiro, este projeto é alicerçado num trabalho junto de jovens que continuam a lutar pela sua liberdade. UMA ENCOMENDA CCB/FÁBRICA DAS ARTES APRESENTADA ORIGINALMENTE EM JANEIRO DE 2018

FOR GOODNESS SAKE — CICLO WILLIAM SHAKESPEARE

9 A 12 MAI 2019 TEMPESTADE +12

Cátia Terrinca e Francisco Salgado TEATRO RADIOFÓNICO — Um espetáculo que parte de A Tempestade, de Shakespeare, para experimentar o eco da palavra e do som como exercício de imaginação individual. ESTREIA ABSOLUTA — UMA ENCOMENDA CCB/FÁBRICA DAS ARTES

10 E 11 MAI 2019 BABY MACBETH +1

Compagnie Gare Centrale TEATRO — Uma interpretação livre inspirada nas tragédias, nas comédias e no universo de Shakespeare: Romeu e Julieta, Macbeth, Sonho de uma Noite de Verão, Rei Lear, Ophelia. Um espetáculo em inglês antigo para bebés e as suas famílias. De e por Agnès Limbos.

15 E 16 JUN 2019 MICRO-SHAKESPEARE +7

Companhia Toti Toronell

TEATRO DE RUA INTERATIVO — Shakespeare como nunca o viu antes… com sentido de humor, amor, intriga, morte, vingança, pipocas, público tornado ator e muitas ovações.

HÁ MÉTODO NA NOSSA LOUCURA Programação criada em parceria com a Escola Superior de Teatro e Cinema

14 A 19 MAI 2019 PARLAMENTO SHAKESPEARE +10 TEATRO/DEBATE

uma performance coreográfica para uma bailarina que decorre dentro de um cubo de imagens em movimento. Uma coreografia que pretende desenhar a evanescência do sonho e a impermanência das coisas.

21 A 26 MAI 2019 ROMEU E JULIETA SEM DESTINO +12

JAN A MAR 2019 A CABEÇA ENTRE AS MÃOS CICLO SOBRE OS MISTÉRIOS DO CÉREBRO

28 MAI A 2 JUN 2019 ENTRE FLORES E BATALHAS +5

Carlos Alves e Sofia Dias TEATRO

PERCURSO PERFORMÁTICO

+ INFORMAÇÕES NO POSTAL A CABEÇA ENTRE AS MÃOS – CICLO SOBRE OS MISTÉRIOS DO CÉREBRO

SETE ROSAS MAIS TARDE — CICLO SOBRE A SOLIDÃO

1 E 2 FEV 2019 PINK FOR GIRLS, BLUE FOR BOYS +8

EDUARDO LUÍZ (1932 - 1988), LA GUERRE DES JOUETS, 1966-86

Tabea Martin DANÇA — Pink for Girls & Blue for Boys questiona sobre as características de ser uma rapariga ou ser um rapaz. Com o apoio de quatro bailarinos, Tabea Martin explora como superar os estereótipos de género. A peça exige que se quebrem as fronteiras do pensamento de género e apresenta uma abordagem brincalhona à forma de repensar a questão da identidade.

ARTES NAS FÉRIAS DO VERÃO 6>12 ANOS 1 A 12 JUL 2019 SONHOS DE LONGOS DIAS DE VERÃO

CCB, INV. A001 / 1992 — FOTOGRAFIA CCB/TIAGO PINTO, 2018

Cidade Aberta

GARAGEM SUL – EXPOSIÇÕES DE ARQUITETURA

EXPOSIÇÕES 10 JUL A 14 OUT 2018

HISTÓRIAS CONSTRUÍDAS BUILDING STORIES.

Curadoria: Amélia Brandão Costa e Rodrigo da Costa Lima

Uma exposição sobre aquilo que não é facilmente captado à primeira vista na arquitetura. Sobre a forma como a arquitetura é produzida, construída e utilizada. Tendo como leitmotif a construção, esta exposição estabelece uma conversa entre os arquitetos De Vylder Vinck Taillieu, Maio e Ricardo Bak Gordon sobre todos os processos invisíveis na produção arquitetónica. O visitante descobrirá não apenas edifícios, como também arquitetos, mas, sobretudo, a natureza da arquitetura, das formas de pensar e de fazer. Debate de encerramento — 6 OUT EXPOSIÇÃO PRODUZIDA PELA GARAGEM SUL/CCB

13 NOV 2018 A 27 JAN 2019

O TERRITÓRIO DA ARQUITETURA. GREGOTTI E ASSOCIATI 1953-2017

Curadoria: Guido Morpurgo

Ao celebrar os seus 25 anos, o CCB acolhe uma exposição retrospetiva da obra de Vittorio Gregotti. Esta exposição apresenta uma narrativa explicativa das atividades abrangentes deste arquiteto e do seu gabinete, ao longo de mais de seis décadas de projetos em Itália e no resto do mundo. Este trabalho ambicioso está documentado na exposição através de plantas e maquetes originais, bem como de reproduções e fotografias. Debate de encerramento — 19 JAN EXPOSIÇÃO PRODUZIDA PELO PADIGLIONE D’ARTE CONTEMPORANE (PAC)

18 JUN A 8 SET 2019

OS OSSOS DA ARQUITETURA

Curadoria: Mario Rinke

Para além dos materiais que dão forma e aparência a um edifício, há pré-condições físicas que permanecem fundamentais – a sua sustentação como um todo e a capacidade de se manter em pé. Os edifícios têm lógicas internas que não são negligenciáveis, a interconexão dos seus materiais e componentes dá-lhes força e, como consequência, essas lógicas impõem formas, padrões, ordens e constrangimentos. Serão apresentados trabalhos e métodos de sete arquitetos e engenheiros que permitem refletir sobre princípios, regras, estratégias e métodos de conceção estrutural. Debate de encerramento — 7 SET

CONFERÊNCIAS DA GARAGEM

16 OUT 2018 Jean-Louis Violeau

A grande recusa? Os arquitetos franceses e o maio de 68 Acabaram-se as Belas-Artes! Vivemos o ano de 1968 em França, chega de copiar, vamos inventar! O quê, qual é o rumo?

6 NOV 2018 Maria Moita Arquitetura de emergência Todos os anos, desastres naturais e conflitos armados causam uma enorme destruição e a deslocação massiva de pessoas. Num cenário pós-crise, proporcionar abrigo vai para além do fornecimento de paredes e tetos: tem de ser entendido e desenvolvido enquanto catalisador da recuperação. 19 MAR 2019 Pier Paolo Tamburelli

Maravilhas do mundo moderno Em 1721, Fischer von Erlach publicou um álbum ilustrado que reunia monumentos de todo o mundo. A coleção tinha implícita uma crítica – como a que podemos encontrar em Adolf Loos, Aldo Rossi, ou Rem Koolhaas – que permite (re)pensar a arquitetura como algo imerso na troca linguística e intrinsecamente ligado às cerimónias sociais e religiosas.

21 MAI 2019 Samia Henni Arquitetura da contra-revolução Durante a revolução argelina (1954-1962), as autoridades civis e militares francesas reorganizaram profundamente o território urbano e rural da Argélia, transformando drasticamente os seus ambientes construídos, implementando com rapidez novas infraestruturas e construindo estrategicamente novas povoações, de modo a manter a Argélia sob domínio francês. 10 JUL A 16 SET 2018

UMA PRAÇA NO VERÃO

Promontório Arquitetos

UMA PARCERIA COM A AMORIM ISOLAMENTOS

No verão, a praça do CCB é palco para uma construção efémera da autoria do atelier Promontório que sublinha a dimensão transitória dos lugares e das coisas.

JUL-AGO-SET 2018 SEXTAS / 21H30

CICLO DE CINEMA DEDICADO A MURRAY GRIGOR

+ INFORMAÇÃO NO POSTAL CCB DE VERÃO

EXPOSIÇÃO PRODUZIDA PELA GARAGEM SUL/CCB

SERVIÇO EDUCATIVO

OFICINAS E VISITAS GUIADAS 1.º DOMINGO DO MÊS DOS 5 AOS 11 ANOS — 11H PÚBLICO EM GERAL — 15H

JULIÃO SARMENTO (N.1941), BELÉM, 1992 (PORMENOR)

CCB, INV. A007 /1992 — FOTOGRAFIA CCB/TIAGO PINTO, 2018

FÉRIAS

VERÃO, NATAL E PÁSCOA 10H-17H DOS 7 AOS 13 ANOS

Cidade Aberta

CCB DE VERÃO

2018 MÚSICA — CINEMA — — ARQUITETURA ENTRADA LIVRE

18 AGO TRÊS BAIRROS

MÚSICA

JARDIM DAS OLIVEIRAS / 19H

19 AGO DANIEL BERNARDES E JOÃO MORTÁGUA

Parceria CCB/Addmore

Daniel Bernardes piano / João Mortágua saxofone

14 JUL musaicus

25 AGO ANDRÉ FERNANDES TRIO

Carla Pinto voz / Marcos Lázaro violino Jorge Vasconcelos baixo elétrico e contrabaixo José Vilão bateria e percussões

André Fernandes guitarra / João Correia bateria Francisco Brito contrabaixo

15 JUL ESPÍRITO NATIVO

Ruben Alves piano / Miguel Amado contrabaixo Carlos Miguel bateria

Jacqueline Mercado voz, guitarra e bombo legϋero Rui Meira guitarra, charango e quatro venezuelano Iúri Oliveira percussão

21 JUL ANTÓNIO EUSTÁQUIO E CARLOS BARRETTO

António Eustáquio guitolão / Carlos Barretto contrabaixo

22 JUL PETIT GATÔ

Ricardo Torres clarinete / Vitor Nunes acordeão Pedro F. Sousa contrabaixo

28 JUL LUIZ CARACOL 29 JUL RUA DA LUA

Tatiana Carmo voz / Rui Silva contrabaixo Manu Teixeira percussão / Carlos Lopes acordeão Tiago Oliveira guitarra

4 AGO RUI DRUMOND & THE SOUL JOURNEY

Rui Drumond voz / Marco Reis guitarra elétrica Ricardo Dick baixo / Rui Reis bateria / Aleixo Franco piano

5 AGO PELA RUA FORA

Cláudio Alves voz e guitarra / Gonçalo Sousa harmónica

11 AGO PENICOS DE PRATA

Catarina Santana ukelele e voz / André Louro guitarra e voz Eduardo Jordão contrabaixo e voz André Pontífice violoncelo e voz

12 AGO PROJECTO AAMA

Mili Vizcaíno voz / Cláudio Andrade piano e teclados Sebastien Scheriff bateria e percussões Yannick Nolting baixo elétrico Cláudio Alves guitarra elétrica e voz

PEDRO PROENÇA (N.1962), ORPHEU, 1993 (PORMENOR)

Guilherme Madeira voz / João Correia guitarra clássica Ricardo Gama guitarra portuguesa

CCB, INV. B014 — FOTOGRAFIA CCB/TIAGO PINTO, 2018

26 AGO KOLME

1 SET TIROLIRO E VLADIMIR Gimba voz e guitarra / Jorge Galvão voz e guitarra

2 SET TRIO ORFEU

Fred Martins voz e violão / Ruca Rebordão percussão Jed Barahal violoncelo

CINEMA 2018

PROJEÇÃO DE VÍDEO EM FORMATO DVD

UMA PRAÇA NO VERÃO

Promontório Arquitetos Uma parceria com a Amorim Isolamentos No Verão, a praça do CCB é palco de uma construção efémera, através de uma obra de arquitetura em cortiça, da autoria do PROMONTÓRIO Arquitetos, que dá corpo a uma transformação do lugar e permite experimentar a natureza dos materiais. CICLO MURRAY GRIGOR / 21H30

SEM LEGENDAS EM PORTUGUÊS

Murray Grigor é um realizador escocês cuja produção cinematográfica tem privilegiado a arquitetura como protagonista. As suas obras dialogam com nomes maiores, desde Charles Rennie Mackintosh a John Lautner, passando por Robert Adams e Frank Lloyd Wright. Tendo como cenário Uma Praça no Verão, os seus filmes irão trazer arquitetura ao ecrã do CCB.

13 JUL INFINITE SPACE: THE ARCHITECTURE OF JOHN LAUTNER (2008 / 91 MIN.) 27 JUL SEAN CONNERY´S EDINBURGH (1983 / 29 MIN.) + THE HAND OF ADAM (1975 / 34 MIN.) 10 AGO THE ARCHITECTURE OF FRANK LLOYD WRIGHT (1983 / 90 MIN.)

24 AGO SIR JOHN SOANE: AN ENGLISH ARCHITECT, AN AMERICAN LEGACY (2005 / 62 MIN.) 7 SET CUMBERNAULD (1977 / 45 MIN.) + SPACE AND LIGHT REVISITED (2009 / 23 MIN.) + IN SEARCH FOR CLARITY (1995 / 45 MIN.) CICLO SOBRE O MAIO DE 68 / 21H30

O Maio de 68 iniciou-se com greves e contestações dos estudantes universitários, com a ocupação de universidades que se revoltavam contra uma sociedade conservadora, pondo em causa um modo de vida. Paris tornou-se o epicentro dessas lutas, mas as ondas de choque da contestação alastraram pelo país. O sonho da revolução durou pouco, mas a sociedade francesa mudara para sempre e os efeitos dessas mudanças repercutiam-se noutros pontos do mundo.

20 JUL OS AMANTES REGULARES (2015 / 3H), Philippe Garrel

3 AGO NASCIDOS EM 68

(2008 / 2H50), Olivier Ducastel & Jacques Martineau

17 AGO O FUNDO DO AR É VERMELHO

(1977 / 4H), Chris Marker / SEM LEGENDAS EM PORTUGUÊS

31 AGO DEPOIS DE MAIO (2012 / 2H), Olivier Assayas

29 JUL A 7 AGO FESTIVAL VERÃO CLÁSSICO 2018 ACADEMIA INTERNACIONAL DE MÚSICA DE LISBOA

Filipe Pinto-Ribeiro direção artística e pedagógica A quarta edição do Festival Verão Clássico incluirá concertos diários e masterclasses de instrumentos – piano, cordas e sopros – e de Música de Câmara, contando com a com a participação de músicos e professores de grande reputação internacional, nomeadamente Imogen Cooper, Aleksandar Madžar, Corey Cerovsek, Jack Liebeck, Isabel Charisius, Gary Hoffman, Adrian Brendel, Janne Saksala, Adriana Ferreira, Pascal Moraguès e Radek Baborák.

24 JUN, 29 JUL E 26 AGO TAI CHI CHUAN

O Tai Chi Chuan continua no Jardim da Oliveiras, com a professora Mafalda Costa da Escola de Artes Marciais Chinesas – Folha de Bambu.

Cidade Aberta

SETE ROSAS MAIS TARDE

— CICLO SOBRE A SOLIDÃO

O ciclo dedicado à temática da solidão, cujo título foi «roubado» a um poema de Paul Celan, intitulado Cristal, propõe uma reflexão sobre uma realidade integrante da condição humana e que muito recentemente foi considerada, por várias instituições e governos, epidemia. A reflexão, contudo, não se debruça sobre discursos clínicos, mas é antes mediada por objetos artísticos que partem desse solo que cada um sente como único para o transcender e, quer através da palavra ou da música, nos confrontar com as várias modulações que a arte soube construir a partir dessa experiência radical e universal.

CONFERÊNCIAS

QUATRO ÚLTIMAS CANÇÕES

a solidão. A ópera em um ato O Castelo do Barba Azul encerra uma reflexão profunda sobre a sociedade atual e a dificuldade de integração do indivíduo, tantas vezes condenado pelo seu próprio individualismo à solidão. A Voz Humana é uma tragédia lírica sobre o medo de romper, de ficar só, de perder quem se ama.

S. Rachmaninoff Sinfonia n.º 2, op.27 R. Strauss Quatro Últimas Canções, op. posth

24 MAR 2019

Dois grandes intérpretes – a soprano Elisabete Matos e o maestro Eivind Gullberg Jensen – juntam-se à OML para nos fazer atravessar duas extraordinárias paisagens musicais da primeira metade do século XX.

Orquestra Metropolitana de Lisboa Pavel Gomziakov violoncelo Pedro Amaral direção musical

MÚSICA

9 FEV 2019 «O POEMA É SOLITÁRIO

24 FEV 2019

João Barrento, ensaísta, tradutor e antigo professor da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa dá uma conferência centrada no universo da poesia de Paul Celan, autor de quem já traduziu três volumes.

Orquestra Metropolitana de Lisboa Elisabete Matos soprano Eivind Gullberg Jensen direção musical

E VAI A CAMINHO…» PAUL CELAN

16 MAR 2019

SOZINHAR

Sónia Baptista Conferência-Performance sobre o ato de sozinhar como princípio gerador de uma reflexão poética, sobre existir com e sem alguém para além do que se é e tem.

CONFERÊNCIA

(Datas a anunciar)

de António Damásio

28 FEV 2019 STRADIVARIUS A SOLO Linus Roth violino

J. S. Bach Sonata n.º 1 para violino solo, BWV 1001 M. Weinberg Sonata n.º 2 para violino solo, op. 95 J. S. Bach Partita n.º 2 para violino solo, BWV 1004 E. Ysaÿe Sonata para violino solo n.º 3, Ballade

14 A 17 FEV 2019

Acompanhado apenas pelo seu Stradivarius «Dancla» de 1703, o aclamado violinista alemão Linus Roth será o responsável por esta viagem pelo lado mais intimista e de certa forma solitário da música.

encenação Carla Maciel

6/8/10 MAR 2019 A VOZ HUMANA /

21 FEV A 6 MAR 2019

Orquestra Sinfónica Portuguesa Coro do Teatro Nacional de São Carlos Alexandra Deshorties soprano Allison Cook meio-soprano / Kostas Smoriginas baixo Joana Carneiro direção musical / Olga Roriz encenação Nuno Carinhas cenografia e figurinos Cristina Piedade desenho de luz

TEATRO

CONFISSÕES DE UM CORAÇÃO ARDENTE

A CRIADA ZERLINA

encenação João Botelho

23 A 28 MAR 2019

A BODA

encenação Ricardo Aibéo + INFORMAÇÃO NO POSTAL TEATRO

O CASTELO DO BARBA AZUL

F. Poulanc A Voz Humana B. Bartók O Castelo do Barba Azul

Numa noite dupla de ópera, apresentam-se duas obras que nos fazem pensar sobre a condição humana e sobre

DANIEL BLAUFUKS (N.1963), LONDON DIARIES, 1993-1994

CCB, INV. G22 — FOTOGRAFIA CCB/TIAGO PINTO, 2018

SIX PORTRAITS OF PAIN

A. P. Vargas Sinfonia (subjetiva) — ENCOMENDA CCB A. P. Vargas Six Portraits of Pain — COM ESTA PEÇA SERÁ EXIBIDO, EM ESTREIA, UM FILME DE TERESA VILLAVERDE – UMA ENCOMENDA CCB

Duas estreias, uma musical, outra cinematográfica. Desafiando a História e a tradição orquestral, António Pinho Vargas escreve pela primeira vez uma Sinfonia, a que dá o título Subjetiva. Por seu lado, a cineasta Teresa Villaverde inverte a habitual relação entre o filme e a banda sonora, propondo uma criação cinematográfica realizada a partir de outra obra de A. P. Vargas, Six Portraits of Pain (de 2001).

FÁBRICA DAS ARTES ESPETÁCULO DE DANÇA

PINK FOR GIRLS, BLUE FOR BOYS 1 E 2 FEV 2019 coreografia Tabea Martin

ESPETÁCULO DE TEATRO/DANÇA

MARGEM 22 A 24 FEV 2019

direção Victor Hugo Pontes UMA ENCOMENDA CCB/FÁBRICA DAS ARTES APRESENTADA ORIGINALMENTE EM JANEIRO DE 2018 + INFORMAÇÃO NO POSTAL FÁBRICA DAS ARTES

Cidade Aberta

FOR GOODNESS SAKE

— CICLO WILLIAM SHAKESPEARE

Revisitar Shakespeare é sempre um desafio, dada a proliferação de estudos universitários, encenações e adaptações que foram sendo feitas ao longo dos tempos pelos mais diversos discursos artísticos – do teatro ao cinema, do ensaio à literatura e à dança. Contudo, se a sua biografia ainda é terreno de polémicas, a sua obra continua a fascinar pelo que tem de avassalador na abordagem da natureza das paixões humanas e a suscitar releituras de criadores contemporâneos, que é o propósito deste ciclo.

CURSO

16 MAR A 13 ABR 2019 NOT WISELY, BUT TOO WELL CURSO SOBRE WILLIAM SHAKESPEARE Maria Sequeira Mendes

Neste curso conversaremos sobre as características de algumas personagens de Shakespeare e o modo como estas parecem dar origem à tragédia, mas também permitem a cada personagem ter sentido de humor, ser valente e capaz de se vingar. Veremos que conhecer Shakespeare não nos ajuda a evitar tragédias pessoais, mas oferece-nos um conjunto de boas citações para, em caso de necessidade, nos sabermos consolar.

TEATRO

5 A 8 ABR 2019 TIMÃO DE ATENAS Teatro Praga

+ INFORMAÇÃO NO POSTAL TEATRO

CONFERÊNCIA/PERFORMANCE

6 ABR 2019 I CALL HIM WILL

Sónia Baptista A partir do caderno de notas de Edith Sitwell, deambulação, pessoal, por algumas das obras de William Shakespeare. O critério dessa escolha? Um critério de pele, de intuição. Um emparelhamento de ideias de luz, escuridão, movimento, natureza. Sobre a natureza das obras e das personagens, sobre a justeza do eco das palavras que, ainda hoje, arrepiam caminho.

MÚSICA

DIAS DA MÚSICA EM BELÉM 25 A 28 ABR 2019 VÁRIOS ESPAÇOS «BE OR NOT BE» 23 MAI 2019 PEQUENO AUDITÓRIO Diemut Poppen viola Pavel Gomziakov violoncelo Pallavi Mahidara piano

+ INFORMAÇÃO NO POSTAL MÚSICA DE CÂMARA

CICLO DE CINEMA WILLIAM SHAKESPEARE *FILMES NO PEQUENO AUDITÓRIO COM PROJEÇÃO DE VÍDEO EM FORMATO BLU-RAY

É já longa a relação do cinema com a obra dramatúrgica de Shakespeare. O ciclo de filmes que agora se apresenta cobre um período que vai de 1948 a 1996. Todos os filmes deste ciclo são a demonstração da genialidade de Shakespeare e o testemunho do fascínio que a sua obra continua a exercer noutras artes.

13 A 20 MAIO 2019 13 RAN – OS SENHORES DA GUERRA (1985 / 2H40), de Akira Kurosawa 14 MACBETH (1971 / 2H20), de Roman Polanski* 15 HAMLET (1948 / 2H35), de Laurence Olivier* 17 SORRISOS DE UMA NOITE DE VERÃO (1955 / 1H50), de Ingmar Bergman* 18 A FERA AMANSADA (1967 / 2H), de Franco Zeffirelli* 20 ROMEU E JULIETA (1996 / 2H), de Baz Luhrmann

FÁBRICA DAS ARTES

ESPETÁCULO DE TEATRO RADIOFÓNICO (ESTREIA ABSOLUTA — ENCOMENDA CCB/FÁBRICA DAS ARTES)

9 A 12 MAI 2019 TEMPESTADE — Cátia Terrinca e Francisco Salgado ESPETÁCULO DE TEATRO

10 E 11 MAI 2019 BABY MACBETH — Compagnie Gare Centrale TEATRO DE RUA INTERATIVO

15 E 16 JUN 2019 MICRO-SHAKESPEARE — Companhia Toti Toronell HÁ MÉTODO NA NOSSA LOUCURA PARCERIA CCB/FÁBRICA DAS ARTES/ESTC

TEATRO/DEBATE

14 A 19 MAI 2019 PARLAMENTO SHAKESPEARE — Bestiário TEATRO

26 MAI 2019 ROMEU E JULIETA SEM DESTINO — Carlos Alves e Sofia Dias PERCURSO PERFORMÁTICO

28 MAI A 2 JUN 2019 ENTRE FLORES E BATALHAS

Carlos Alves, Luciana Zule, Maria Llanderas, Rafael Medrado ARTES NAS FÉRIAS DO VERÃO

1 A 5, 8 A 12 JUL 2019 SONHOS DE LONGOS DIAS DE VERÃO

Bárbara Água, Eduardo Batata, Henrique Gomes, Mafalda Vaz de Amaral e Maria Giestas

EDUARDO BATARDA (N.1943), ALTA, 1990

CCB, INV. A024 / 1992 — FOTOGRAFIA CCB/TIAGO PINTO, 2018

Cidade Aberta

A CABEÇA ENTRE AS MÃOS

— CICLO SOBRE OS MISTÉRIOS DO CÉREBRO

FÁBRICA DAS ARTES

A Cabeça entre as Mãos – Ciclo sobre os mistérios do cérebro reúne uma multidão vinda de diversos campos disciplinares – criação artística, filosofia com crianças e neurociência. É desse encontro e da inevitável existência dos outros para que possa haver o sujeito que pretendemos, juntos, oferecer aos jovens públicos o brilho da dimensão comunicacional da vida na arte, na ciência, na razão humana, no plano social e político. 8 A 10 MAR 2019 O PEQUENO CONCERTO DOS MEDOS +6

Sérgio Godinho, André Godinho e Filipe Raposo CONCERTO — O Pequeno Livro dos Medos é um livro que Sérgio Godinho escreveu e que ilustrou e que tem o «medo» como tema central. E foi esse o ponto de partida para este espetáculo que, para além da introdução de alguns originais propositadamente escritos, revisita várias canções da sua autoria. Com Sérgio Godinho, estará o pianista e compositor Filipe Raposo e, na supervisão da imagética do concerto, André Godinho.

PERFORMANCE +6 PARCERIA COM A ESTC – ESCOLA SUPERIOR DE TEATRO E CINEMA

12 A 17 FEV 2019 PAUSE/PLAY

Planeta Tangerina — Isabel Minhós Martins e Maria Manuel Pedrosa OFICINA DE ESCRITA +8

19 FEV A 3 MAR 2019 O MISTÉRIO DE EXISTIR

ESTREIA ABSOLUTA — UMA ENCOMENDA CCB/FÁBRICA DAS ARTES

Rita Pedro e Dina Mendonça OFICINA DE FILOSOFIA+6

28 A 31 MAR 2019 A BOLHA +12

19 A 24 FEV 2019 CÉREBROS METAFÍSICOS

Os Possessos, João Pedro Mamede e Catarina Rôlo Salgueiro TEATRO — Neste espetáculo fala-se sobre a alienação nas camadas mais jovens da sociedade e não só. Dois rapazes e uma rapariga vivem na inquietação da falta de uma substância indefinida, aqui designada por «Ela», da qual dependem e que pode ser afinal de contas aquilo que os une. ESTREIA ABSOLUTA — UMA ENCOMENDA CCB/FÁBRICA DAS ARTES

CÁ DENTRO – DESCOBRIR O CÉREBRO

23 JAN A 3 FEV 2019 SÊMENTE 0>5 ANOS

Lília Esteves e Inês Pereira — PERFORMANCE MUSICAL — SêMente é a janela virada para dentro, cá dentro, onde vivem os pensamentos e os sentimentos, as emoções e as imaginações, os sentidos e as ligações que os estímulos improváveis e inesperados provocam.

24 JAN A 23 FEV 2019 FORMAÇÃO EM DIÁLOGO FILOSÓFICO NAS VÁRIAS INFÂNCIAS ADULTOS Rita Pedro e Dina Mendonça — Formação que trabalha em como promover o questionamento, a problematização e a reflexão baseados na metodologia do diálogo filosófico nas várias infâncias.

1 FEV A 31 MAR 2019 CÁ DENTRO P/TODOS Planeta Tangerina — Instalação/jogo criada a partir do livro Cá Dentro – Guia para descobrir o cérebro (edição Planeta Tangerina). UMA ENCOMENDA CCB/FÁBRICA DAS ARTES

2 A 9 FEV 2019 ISTO SIM, ISTO NÃO Planeta Tangerina – Madalena Matoso OFICINA DE ARTES PLÁSTICAS+4

JÚLIO RESENDE (1917 - 2011), FOGO DE SÃO JOÃO, 1991 / © JÚLIO RESENDE / SPA, LISBOA, 2018

5 A 10 FEV 2019 DENTRO3 Ana Catarina Santos e Sílvio Vieira

CCB, INV. A009 / 1992 / FOTOGRAFIA CCB/TIAGO PINTO, 2017

Rita Pedro OFICINA DE FILOSOFIA

PRÉ-ESCOLAR, 1.º + 2.º ANOS DO 1.º CICLO

26 FEV A 2 MAR 2019 META-EMOÇÕES: UM BOLO DE CAMADAS DE SENTIR

Dina Mendonça OFICINA DE FILOSOFIA 3.º E 4.º ANOS DO 1.º CICLO, 2.º CICLO

2 A 30 MAR 2019 QUANDO O CÉREBRO VAI À ESCOLA Joana Rato e Alexandre Castro Caldas SEMINÁRIO ADULTOS

PARCERIA COM O CENTRO DE INVESTIGAÇÃO INTERDISCIPLINAR EM SAÚDE E COM O INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE – UNIVERSIDADE CATÓLICA

18 A 24 MAR 2019 80 BILIÕES DE NEURÓNIOS À PROCURA DE CONSENSO Ana Rita Fonseca e Patrícia Correia JOGO +6

21 A 25 MAR 2019 SER NO ESPAÇO DO MEU CORPO

Ana Rita Fonseca e Yola Pinto OFICINA DE DANÇA E MOVIMENTO M/6

22 E 24 MAR 2019 MAIS CÉREBRO QUE BARRIGA: UMA VIAGEM NEURO-GASTRONÓMICA Patrícia Correia e Marina Garcia EXPERIÊNCIA NEURO-GASTRONÓMICA ADULTOS

26 A 31 MAR 2019 CÉREBROS EMOCIONADOS

Ana Rita Fonseca e Patrícia Correia INVESTIGAÇÃO E DIÁLOGO +6

Cidade Aberta

CCB 25 ANOS

Sem esquecer os momentos altos de um percurso já histórico, o programa dos 25 anos do CCB propõe momentos únicos de celebração ao longo do ano, afirmando a importância desta instituição para o enriquecimento cultural, criação artística e promoção da contemporaneidade e reforçando a relação cada vez mais próxima e renovada com os seus públicos, parceiros e mecenas. A Exposição CCB 25 anos e o Open Day assinalaram o dia 21 de março como o grande dia de abertura do CCB ao público. Uma exposição de 25 fotografias no exterior do edifício documenta diversas fases da construção do CCB e um vídeo de 25 minutos conta a sua história, desde o projeto até à atualidade. Em setembro será apresentada uma publicação inteiramente dedicada ao Edifício, incidindo na relação com a monumentalidade envolvente e com o tecido urbano da cidade e da zona ribeirinha. Com textos da autoria de Nuno Grande, que coordena esta edição, de João Paulo Martins, de João Gomes da Silva e de António Campos Rosado, esta obra percorrerá os temas da arquitetura, do design, da arquitetura paisagista e da coleção.

A Cidade é uma edição para os mais jovens, encomendada pela Fábrica das Artes a Inês Fonseca Santos e à ilustradora Beatriz Bagulho que idealiza o CCB como uma cidade dentro de Lisboa; um sítio cheio de salas e recantos que acolhe pessoas e ideias; um lugar cuidado e habitado por gente que cria, inventa, imagina outros mundos, outras linguagens. Ao celebrar 25 anos, o Centro Cultural de Belém associa-se a Fernanda Fragateiro, Ricardo Bak Gordon e Ricardo Preto na criação de uma linha exclusiva de peças de autor, de edição limitada.

10 JULHO UMA FESTA NA PRAÇA convoca todos os públicos a integrar o álbum de memórias futuras do CCB. Um conjunto de DJs com diversos perfis artísticos, do cinema às artes plásticas, da música ao teatro, irá celebrar ao ar livre a cidade de todas as artes. A partir das 19 horas. EM PARCERIA COM A ANTENA 3

deste arquiteto e do seu gabinete, ao longo de mais de seis décadas de projetos em Itália e no resto do mundo.

28 OUT MOZARTFEST

Johannes Moser violoncelo / Joana Carneiro direção musical

DSCH – Schostakovich Ensemble / Filipe Pinto-Ribeiro piano e direção artística Jack Liebeck violino / Cerys Jones viola / Kyril Zlotnikov violoncelo Comentários ao concerto por Filipe Pinto-Ribeiro W. A. Mozart Trio para piano, violino e violoncelo em Dó maior, K 548 / Quarteto para piano, violino, viola e violoncelo em Sol menor, K 478 / Sonata para piano e violino em Mi menor K 304 / Quarteto para piano, violino, viola e violoncelo em Mi bemol maior, K 493

Para assinalar o 25.º aniversário do CCB, o DSCH – Schostakovich Ensemble apresenta um programa dedicado a Wolfgang Amadeus Mozart, numa ocasião única para a interpretação dos seus dois únicos Quartetos com piano, obras-primas da Música de Câmara e pioneiras de um género que viria a ser abraçado por vários dos compositores que idolatraram Mozart.

13 NOV 2018 A 27 JAN 2019 GARAGEM SUL O TERRITÓRIO DA ARQUITETURA. GREGOTTI E ASSOCIATI 1953-2017 Curadoria: Guido Morpurgo

PRODUZIDA PELO PADIGLIONE D’ARTE CONTEMPORANE (PAC)

Ao celebrar os seus 25 anos, o CCB acolhe uma exposição retrospetiva da obra de Vittorio Gregotti. Esta exposição apresenta uma narrativa das atividades abrangentes

FERNANDA FRAGATEIRO (N.1962), (NÃO) LIGAR ARCO-IRIS, 2011 (PORMENOR)

Em dezembro, será publicado CCB 2043: o caminho da Torre, uma edição organizada por Rui Catalão, que a partir das histórias de quem fez a história do CCB, procura lançar pistas para o futuro desta instituição que é um marco cultural da transição do século, que se encontra a meio caminho de dois ex-libris quinhentistas – os Jerónimos e a Torre de Belém - e que ambiciona acolher o caminho futuro das artes e da programação cultural lisboeta.

CCB, INV. B052 / 2012 — FOTOGRAFIA CCB/TIAGO PINTO, 2018

25 NOV 2018 ORQUESTRA SINFÓNICA PORTUGUESA OSP – 25 ANOS L. Tinoco Encomenda 25 anos OSP / W. Walton Concerto para violoncelo R. Strauss Assim Falou Zaratustra

Neste concerto dirigido pela maestrina Joana Carneiro, celebram-se os 25 anos da OSP. Para tal foi encomendada uma obra ao compositor Luís Tinoco que servirá de mote a um concerto onde são postas em evidência todas as forças da grande orquestra sinfónica com o poema sinfónico de Richard Strauss Assim falava Zaratustra.

5 A 8 DEZ 2018 FAUSTO

Mala Voadora texto e encenação Jorge Andrade Para fazer um espetáculo que seja espantoso e monumental, o CCB junta-se à mala voadora para conseguir financiamento junto dos vários ministérios. Rentabiliza-se o edifício arrendando-o ao exército, e oferecendo entretenimento aos soldados. Os doentes sem cama nos hospitais são integrados como figurantes no espetáculo em camas confortáveis. E, para além da Defesa e da Saúde, fazem-se acordos com outros ministérios: a Justiça, a Administração Interna, os Negócios Estrangeiros... Progressivamente, o espetáculo torna-se uma bomba mediática e as televisões mudam-se para o CCB. Aos poucos, todo o Orçamento do Estado é absorvido por este projeto artístico, que acaba por transformar-se numa representação global do país. Verdadeiro realismo.

Cidade Aberta

CENTRO DE CONGRESSOS E REUNIÕES

CCB, CIDADE ABERTA

O LUGAR CERTO PARA TODOS OS ACONTECIMENTOS DA SUA EMPRESA O Centro de Congressos e Reuniões do CCB é a mais feliz combinação entre negócios e cultura. Junte o melhor da nossa programação cultural com o evento da sua empresa ou instituição. A apresentação de uma nova ideia, uma nova marca ou de um projeto inovador têm o melhor palco no CCB. Uma conferência, um congresso, um seminário ou colóquio, uma reunião de quadros da sua empresa, uma ação de team building ou uma publicação terão o melhor acolhimento e as condições ideais nos espaços renovados do nosso Centro de Congressos e Reuniões. Dotado com os mais atuais equipamentos audiovisuais e cénicos, associados a um serviço e apoio técnico de excelência, este é o lugar certo para promover os seus negócios e os seus projetos. Em parceria com a empresa Casa do Marquês, apresentamos uma seleção exclusiva de propostas de catering e decoração que, associadas a um atendimento e serviço de elevada qualidade, conferem ao seu evento caraterísticas únicas e verdadeiramente diferenciadoras. Consulte o nosso site para mais informação, ou, se preferir, contacte-nos.

IMAGINE O SEU EVENTO AQUI. É POSSÍVEL. CONGRESSOS CONFERÊNCIAS ANTESTREIAS REUNIÕES EMPRESARIAIS LANÇAMENTO DE PRODUTOS AÇÕES DE FORMAÇÃO WORKSHOPS APRESENTAÇÕES NEW MEDIA LOCALIZAÇÃO FLEXIBILIDADE SEGURANÇA TECNOLOGIA ESTACIONAMENTO

E-MAIL [email protected] TELEFONE (+351) 213 612 697 MORADA PRAÇA DO IMPÉRIO, 1449-003 LISBOA WWW.CCB.PT

LUÍS NORONHA DA COSTA (N.1942), S/ TÍTULO, 1988 (PORMENOR)

CCB, INV. A 010 — FOTOGRAFIA CCB/TIAGO PINTO, 2017

O CENTRO CULTURAL DE BELÉM AGRADECE ÀS EMPRESAS AMIGAS QUE APOIAM O SEU PROJETO CULTURAL: CLECE HOTÉIS VILA GALÉ MASSIMO DUTTI SOV SUPER BOCK GROUP VODAFONE

ASSINATURA CCB CIDADE ABERTA 29 MAIO > 19 JUNHO 2018

CARTÃO AMIGO CCB

Desconto de 40% na compra de 5 ou mais espetáculos diferentes (VÁLIDO PARA BILHETES DE VALOR SUPERIOR A 8€)

PÚBLICO GERAL

Desconto de 30% na compra de 5 ou mais espetáculos diferentes (VÁLIDO PARA BILHETES DE VALOR SUPERIOR A 12€).

20 JUNHO > 4 JULHO 2018

CARTÃO AMIGO CCB

Desconto de 30% na compra de 5 ou mais espetáculos diferentes (VÁLIDO PARA BILHETES DE VALOR SUPERIOR A 8€)

PÚBLICO GERAL

Desconto de 20% na compra de 5 ou mais espetáculos diferentes (VÁLIDO PARA BILHETES DE VALOR SUPERIOR A 12€).