Startups. Prof. Robson Almeida

Startups Prof. Robson Almeida Startup, o que é? Um grupo de pessoas iniciando uma empresa, trabalhando com uma ideia diferente, escalável e em condi...
7 downloads 1 Views 2MB Size
Startups Prof. Robson Almeida

Startup, o que é? Um grupo de pessoas iniciando uma empresa, trabalhando com uma ideia diferente, escalável e em condições de extrema incerteza. O que os investidores chamam de startup? Muitas pessoas dizem que qualquer pequena empresa em seu período inicial pode ser considerada uma startup. Outros defendem que uma startup é uma empresa inovadora com custos de manutenção muito baixos, mas que consegue crescer rapidamente e gerar lucros cada vez maiores. No entanto, há uma definição mais atual, que parece satisfazer a diversos especialistas e investidores: uma startup é um grupo de pessoas à procura de um modelo de negócios repetível e escalável, trabalhando em condições de extrema incerteza.

Startup, o que é? Um cenário de incerteza significa que não há como afirmar se aquela ideia e projeto de empresa irão realmente dar certo – ou ao menos se provarem sustentáveis. O modelo de negócios é como a startup gera valor – ou seja, como transforma seu trabalho em dinheiro. Ex. click nos anúncios, franquia, etc. Ser repetível significa ser capaz de entregar o mesmo produto novamente em escala potencialmente ilimitada, sem muitas customizações ou adaptações para cada cliente. Isso pode ser feito tanto ao vender a mesma unidade do produto várias vezes, ou tendo-os sempre disponíveis independente da demanda. Ex. DVD x Pay-per-view Ser escalável é a chave de uma startup: significa crescer cada vez mais, sem que isso influencie no modelo de negócios. Crescer em receita, mas com custos crescendo bem mais lentamente. Isso fará com que a margem seja cada vez maior, acumulando lucros e gerando cada vez mais riqueza. Quando se torna escalável, a startup deixa de existir e dá lugar a uma empresa altamente lucrativa. Caso contrário, ela precisa se reinventar – ou enfrenta a ameaça de morrer prematuramente. Fonte: Yuri Gitahy, fundador da Aceleradora

Produto Time Execução

1. Normalmente, incubadoras buscam apoiar pequenas empresas de acordo com alguma diretiva governamental ou regional. Por exemplo, incentivar projetos de biotecnologia devido à proximidade de algum centro de pesquisa nessa área, ou fomentar a indústria de telecomunicações em uma região que precisa de expansão nesse setor.

2. Aceleradoras, por sua vez, são focadas não em uma necessidade prévia, mas sim em empresas que tenham o potencial para crescerem muito rápido. Justamente por isso, aceleradoras buscam startups escaláveis (e não somente uma pequena empresa promissora). 3. Incubadoras pedirão seu plano de negócio, e aceleradoras estudarão seu modelo de negócio - a verba pública que normalmente apoia as incubadoras pede maior formalidade e transparência na avaliação de projetos, além de terem mais critérios ao avaliarem um plano completo. Aceleradoras podem apostar somente em uma boa ideia. Fonte: Yuri Gitahy, fundador da Aceleradora

4. Aceleradoras são lideradas por empreendedores ou investidores experientes, enquanto incubadoras têm gestores com experiência em mediar o poder público, as universidades e empresas. Isso é devido às aceleradoras usarem capital privado para seu próprio financiamento, e incubadoras aproveitarem a disponibilidade de verbas públicas em editais tanto para si próprias como também para os incubados.

5. Enquanto aceleradoras são fortemente apoiadas em sessões de mentoring – seja em palestras ou conversas pessoais entre empreendedor e mentor – as incubadoras são fortemente baseadas no modelo tradicional de consultores, que são contratados para apoiar incubados com um preço descontado (pois irão atender um volume maior de empresas). Fonte: Yuri Gitahy, fundador da Aceleradora

Pitch O pitch é uma apresentação sumária (30s a 20 minutos) com objetivo de despertar o interesse da outra parte (investidor ou cliente) pelo seu negócio, assim, deve conter apenas as informações essenciais e diferenciadas. O pitch deve tanto poder ser apresentado apenas verbalmente quanto ilustrado por 3 a 5 slides. Deve conter basicamente:

• • • • •

Qual é a oportunidade. O Mercado que irá atuar. Qual é a sua solução. Seus diferenciais. O que está buscando.

Fonte: Endeavor Brasil

Pitch Funções do pitch: 1) Fazer você pensar em seu negócio assim como um investidor: com desapego e objetividade 2) Para que você venda sua ideia para empregados, fornecedores, imprensa, etc.

3) Para que você tenha uma estória empolgante, coesa e viral 4) Para garantir que você faça algo relevante e que crie valor. A única função a que se preza uma empresa é criar valor. É fazer algo que não estava lá antes. E se estivesse, seria fazer melhor, mais barato ou disponível para mais pessoas.